(51) 3338 0220
missel@missel.com.br

VOCÊ TEM O PERFIL DE LÍDER DE EMPRESAS INOVADORAS?

Por Simoni Missel

Ao estudar as empresas mais inovadoras do mundo, é possível identificar algumas estratégias bem semelhantes no que se refere à gestão de pessoas. Por regra, os gestores nessas empresas utilizam de um ciclo de feedback positivo, que promove um contínuo incentivo para a inovação e disrupção. São ciclos com objetivos bem definidos e com follow-up constante, o que tem sido a preferência dos profissionais criativos e inovadores.

Essas equipes são motivadas por algumas premissas fundamentais como:

– Preocupação com o impacto social do trabalho

– Interesse por projetos desafiadores

– Busca por autonomia,

– Demanda por feedback de suas atividades e comportamentos

– Necessidade de compartilhar e colaborar

– Oportunidade de desenvolvimento pessoal e profissional no trabalho

As organizações inovadoras são direcionadas para uma nova cultura, onde resultados financeiros passam de objetivo para reflexo e circunstância de metas bem definidas e boas estratégias. Essas empresas têm objetivos mais nobres e globalizados e se organizam através de um pensamento sistêmico e de longo prazo. Isso desperta em suas equipes a sensação de pertencimento e contribuição na transformação para um mundo melhor de se viver e trabalhar. Ou seja, buscam impacto positivo além do seu espaço de atuação e para fora do negócio.

Tammy Erickson, Executive Fellow em Comportamento Organizacional na London Business School, afirma que para inovar as pessoas precisam ter um interesse genuíno pelo trabalho que realizam. “A inovação requer um esforço do próprio colaborador”.

Ela defende que existem 5 tipos de profissionais:

1 – Aqueles para quem o trabalho nunca será uma prioridade. Eles podem ser bons funcionários, responsáveis e trabalhadores, mas o seu foco está em outro lugar: família, hobbies ou outros passatempos. Se adaptam bem em cargos operacionais ligados à apoio e suporte. Costumam trabalhar bastante para manter a segurança na vida pessoal, que é o seu principal motivador. Raramente são as pessoas criativas que as empresas disruptivas precisam.

2 – Os que são muito preocupados com a causa social do seu trabalho. Estão “engajados para mudar o mundo” e querem construir algo que fique na história. Perfil comumente encontrado em programadores, tecnólogos, arquitetos e engenheiros.

3 – Profissionais movidos pelo plano de estabilidade e progresso, que esperam que a empresa lhe ofereça um plano bem definido para se desenvolver e crescer profissionalmente.

4 – Os que tem um forte espírito de equipe e se motivam com as oportunidades de colaborar com os outros.

5 – Os “tomadores de risco”. Buscam constantemente desafiar os limites e só se sentem satisfeitos com a superação das metas e objetivos. Estão sempre insatisfeitos com suas conquistas e acreditam que podem ser e alcançar mais.

Você já deve estar pensando que os profissionais mais inovadores se enquadram entre “engajados para mudar o mundo” e “tomadores de risco”. Segundo os gestores, estes são os perfis mais difíceis de serem geridos. São questionadores, desafiam regras, geram ideias, são adeptos às mudanças frequentes e buscam novas formas de fazer melhor.

A cultura corporativa, estabelecida na Era Industrial, com hierarquias e estruturas rígidas, não é mais atrativa e, portanto, as empresas inovadoras constroem uma estrutura mais flexível e meritocrática. O feedback sistematizado, alinhado ao propósito e inovação servem para atrair e reter pessoas inovadoras. É a construção de um novo ambiente que permite colaboração e novas ideias. Nas culturas inovadoras, a maioria das ideias surge a partir da manifestação de seus colaboradores.

Três lições para manter o time engajado em uma cultura de inovação é:

– Não elabore projetos grandes onde se perca a contribuição de cada participante. Procure criar times que permitam a manifestação de todas as ideias.

– Divida os projetos em partes menores, possibilitando que as pessoas tenham uma “atitude de dono” em relação ao seu trabalho.

– Deixe claro o impacto de cada profissional no seu trabalho e mantenha-o ele informado sobre seu desempenho.



Voltar