(51) 3338 0220
missel@missel.com.br
saiba-dizer-não

SAIBA DIZER “NÃO” E AUMENTE SUA PRODUTIVIDADE

*Por Claudio D’Amico

Vou falar hoje sobre uma das maiores dificuldades das pessoas: dizer “não”.

Há muitas controvérsias com o fato de dizer “não”. Sempre que alguém nos pede algo há uma tendência, na maioria das pessoas, em largar tudo e ir ajudar. Muitas pessoas dizem que não conseguem dizer “não”, enquanto outras comentam que não têm a menor dificuldade em dizer.

Afinal, o que é melhor?

Vamos entender um pouco melhor sobre este tema. O “não” pode ter diferentes significados: “não quero”, “não vou fazer”, “não posso” e pode também passar uma imagem de pessoa egoísta. O “sim” pode mostrar aceitação, concordância, solicitude e passar uma imagem de uma pessoa submissa.

É saudável que em algumas situações haja “nãos” e em outras “sims”, tanto nas relações profissionais como nas pessoais.

O autor do livro “Aprenda a dizer não – sem culpas”, António Sacavém (Lisboa/Portugal) apresenta 3 tipos diferentes de “não”:

  • Não positivo

– permite manter o foco naquilo que é realmente importante para nós, nos aproximando de um “sim” melhor;

– mostra o quanto é importante aquilo que se está fazendo no momento;

– dizemos não a um comportamento, sem dizer não à pessoa, pois somos responsáveis pelas nossas ações e não pelos sentimentos dos outros;

– dizer um “não” positivo vai aumentar a produtividade e ajuda no equilíbrio entre trabalho e família.

  • Não assertivo

– dá os limites, nos ajuda a dizer qual é o nosso espaço, mas ao mesmo tempo respeitando o outro;

– valoriza os próprios princípios e a ética.

  • Não negativo

– é um não acusatório;

– confunde o comportamento com a pessoa.

A dificuldade encontrada quando não se consegue dizer “não” é proveniente de um modelo mental, ou seja, das crenças originadas pela educação recebida desde a infância. Para muitas pessoas, ainda vem carregado de um componente cultural.

Algumas pessoas buscam e precisam, por questões pessoais ligadas à sua personalidade, cumprir com as expectativas que os outros podem ter a seu respeito. Outras têm medo de desagradar, de serem rejeitadas ou desvalorizadas, e então fazem de tudo para que isto não aconteça.

Todos esses diferentes comportamentos têm impacto direto na gestão do tempo dos profissionais. Não saber utilizar o “não” da forma correta pode tornar as pessoas muito prestativas e altamente disponíveis, largando suas atividades e trabalhando pelos outros. São reconhecidas como “pau pra toda obra”.

Além disso, a dificuldade em dizer “não” impacta negativamente em fatores críticos como a delegação, o comprometimento da equipe e a formação de sucessores.

Principalmente no sul do Brasil, este comportamento é bastante frequente em função da grande influência da cultura italiana e germânica, onde a educação tem bases bastante rígidas. A importância de ajudar os outros é muito destacada, muitas vezes ignorando as necessidades próprias em detrimento do bem-estar de outras pessoas, onde o inverso disso seria considerado egoísmo. Muitas pessoas acabam anulando o seu verdadeiro ser durante toda a vida.

Para um “não” positivo teremos que saber lidar com a “culpa” e isto também exigirá uma boa dose de inteligência emocional. É necessário manter relações positivas, construtivas e saudáveis com os outros, fazendo uso tanto no “não positivo” como do “não assertivo”.

É importante que haja bastante treinamento e dedicação para esta nova postura, dia após dia. Com o passar do tempo, perceberemos que a nossa produtividade aumentará consideravelmente e, como consequência, ficaremos mais satisfeitos. Haverá ainda mais respeito por parte das pessoas que estão na nossa volta.

Claudio D’Amico

diretor de performance da Missel Capacitação Empresarial

__________________________________________________________________________

Há vários anos estudo o tema competências e percebo que neste momento estão sendo exigidas novas habilidades, diferentes das que eram exigidas até então. Em consequência deste cenário que se apresenta é de grande importância o nosso desenvolvimento pessoal e profissional. Caso contrário já estaremos obsoletos.



Voltar