(51) 3338 0220
missel@missel.com.br
homens-mulheres-no-trabalho

PERFIL TRAÇA DIFERENÇAS ENTRE HOMENS E MULHERES NO TRABALHO – matéria publicada no Jornal do Comércio

Por Thiago Coppetti – Colaboração de Simoni Missel e Claudio D’Amico*

As similaridades e as diferenças no comportamento e nas características entre homens e mulheres, em geral, são bem conhecidas, mas uma dupla de psicólogos da Capital acabou instigada a entender como isso se relete no dia a dia das empresas e dos próprios profissionais. Foi com essa ideia que surgiu o Mapeamento de Perfil (MaP), realizado pela Missel Capacitação Empresarial, de Porto Alegre.

Para o estudo, os psicólogos Simoni Missel e Claudio D’Amico ouviram 1.237 pessoas – das quais, 37,2% (460) possuem cargos de gestão. O extenso material foi agregado ao trabalho da Unidade de Performance, realizado pela empresa há mais de 20 anos para traçar o perfil de líderes e colaboradores a partir de uma bateria de testes, que mapeia suas competências, possibilitando que a pessoa certa assuma o lugar certo.

“Os índices muito baixos e os muito elevados significam a falta ou o excesso de determinadas competências”, explica D’Amico. Um resultado alto no quesito “conformidade”, exemplifica, pode sinalizar que aquela pessoa é intransigente. “O contrário tende a denotar alguém manipulável”, ressalta. Discrepâncias maiores em algumas características, como afetividade, se sobressaíram no estudo e podem afetar o desempenho profissional, especialmente se a pessoa ignorar que tem essa tendência. “Quem tem elevado nível de afetividade pode levar algumas questões e posturas de subordinados para o lado pessoal ou enfrentar mais dificuldades na hora de fazer desligamentos”, resume o psicólogo.

Pela pesquisa, 22,2% dos homens disseram tratar de temas de trabalho com frieza, ante apenas 12% das mulheres. Elas, ao contrário, afirmaram em grande quantidade trabalhar com boa dose de afetividade (30,3%, ante apenas 23,5% dos homens). Outro dado que chama a atenção, segundo o psicólogo, foi a diferença elevada entre homens que se dizem com excelente capacidade de planejamento e estratégia (16,9%) em relação às gestoras (5,5%). Na hora de fazer a operação do que foi planejado, as mulheres se destacam: 41,5% delas se declararam com elevada capacidade de executar
o que foi planejado, contra 23% dos homens.

Para D’Amico, há diferenças comportamentais significativas também na hora de buscar novas formas de trabalho ou manter a rotina. No caso das mulheres, 38,7% não buscam alterar a forma de atuação, ante 27,5% das repostas masculinas. “Elas também são mais impulsivas (24,5%, ante 16,9% dos homens), mas têm mais cautela na hora de tomar decisões, levam mais tempo para dar uma reposta a alguns problemas para evitarem erros”, aponta o especialista.

Ao analisar o perfil de liderança, as gestoras geralmente falham mais no monitoramento e acompanhamento do trabalho feito pelos subordinados. As razões para essa postura podem ser dúbias. “Talvez por demonstrarem maior confiança no trabalho alheio e serem menos centralizadoras ou, outro lado, por receio e insegurança, temor de sofrer críticas por ficar muito em cima dos empregados”, alerta o psicólogo.

No entanto, D’Amico adverte que esse é um comportamento de risco, porque eleva a chance de a executiva não ter o resultado esperado do que deveria alcançar em termos de qualidade, por exemplo. O teste elaborado pela psicóloga Simoni Missel para o Jornal do Comércio revela o perfil profissional. O autoconhecimento, afirmam Simoni e D’Amico, é a melhor ferramenta para mudar comportamentos indesejados e melhorar a performance profissional.

TESTE SE VOCÊ É UM LÍDER GUIADO PELA RAZÃO OU PELA EMOÇÃO:

INSTRUÇÕES
Leia atentamente e identifique o seu comportamento mais frequente (A ou B) em cada questão. Em seguida, assinale a letra que descreve melhor o seu comportamento. Escolha apenas uma resposta para cada questão.

1(A) Analiso os prós e contras de uma situação antes de tomar qualquer decisão.

(B) Frequentemente, tomo decisões com “o coração”.

2(A) Em minha opinião, o que impulsiona os resultados de uma empresa é a técnica aplicada.

(B) Em minha opinião, o que impulsiona os resultados de uma empresa são as pessoas que nela trabalham.

3 (A) Defendo a posição de que no trabalho as relações interpessoais devem ter foco somente profissional

(B) Tenho facilidade em me tornar amigo dos meus colegas de trabalho.

4 (A) Sigo rigorosamente regras e procedimentos.

(B) Costumo resolver as coisas na medida em que elas surgem.

5 (A) Dizem que sou uma pessoa racional.

(B) Dizem que sou uma pessoa emocional.

6 (A) Para o sucesso da empresa, considero fundamental que os profissionais tenham foco nos resultados.

(B) Para o sucesso da empresa, considero os relacionamentos e a harmonia entre a equipe de trabalho.

7 (A) Não me deixo envolver pelos problemas das pessoas, acredito que cada um tem que resolver os seus.

(B) Me sensibilizo facilmente com as dificuldades das pessoas.

8 (A) Dou o mesmo tratamento para todos, não faço distinção.

(B) Trato cada pessoa de forma individualizada, de acordo com suas características pessoais.

9 (A) Planejo antes de executar minhas tarefas.

(B) Executo minhas tarefas na medida em que as coisas acontecem.

10 (A) Tenho facilidade para dar feedback às pessoas e dizer o que tem que ser dito.

(B) Tenho dificuldade para dar feedback às pessoas, pois não quero magoá-las.

PONTUAÇÃO
Cada resposta equivale a 1 ponto.
Perfil A: Some os pontos respostas A = ___ x 10 = ___%
As respostas A revelam sua tendência, em percentuais, para comportamentos racionais.

Perfil B: Some pontos respostas B = ___x 10 = ___%
As respostas B revelam sua tendência, em percentuais, para comportamentos emocionais.

INTERPRETAÇÃO

VOCÊ É UM LÍDER GUIADO PELA RAZÃO OU PELA EMOÇÃO?
Perfil A – Tendência à Racionalidade
Tem um modo de pensar lógico, gosta de descobrir um jeito de fazer as ideias acontecerem, busca ser o melhor no que faz, tem receio de falhar e de receber críticas, é lógico e estrategista. Tem capacidade de dedução lógica e de tirar grandes conclusões a partir de pequenos fatos. Tendência a ser autossuficiente e cultivar pouco o relacionamento com outras pessoas. Gosta de trabalho que promova desafios constantes.

Perfil B – Tendência à Emocionalidade
Sensibilidade, intenso em suas emoções, boa capacidade de se colocar no lugar da outra pessoa, se as pressões forem muito intensas, pode tomar decisões impensadas. No entanto, pode sair-se bem nas situações menos ameaçadoras. Gosta de trabalhar com pessoas e valoriza um clima agradável de trabalho.

Em caso de Empate:
Em 50% – grande probabilidade de haver um equilíbrio em suas atitudes, tanto racionais quanto emocionais, o que representa uma alta performance para os relacionamentos pessoais e profissionais.

*Simoni Missel e Claudio D’Amico são coaches e sócios da Missel Capacitação Empresarial.



Voltar