(51) 3338 0220
missel@missel.com.br

Imagem: freepik /

MENTALIDADE EXPONENCIAL E O LÍDER DO FUTURO

Por Simoni Missel

Quero compartilhar com você um conceito que tem sido nosso lema na Missel Capacitação Empresarial há mais de 30 anos, ou seja, não é nenhuma novidade, mas é absolutamente rejuvenescido e potencializado em tempos de pandemia. O lema que criamos, vivemos intensamente e levamos no peito, gravado em camiseta é:

Se eu não mudar o meu mundo, quem vai mudar?

Essa frase não saiu de moda nas últimas 3 décadas, mas agora, mais do que nunca, temos muitos aliados neste propósito. Um exemplo disso são os líderes empresariais que embarcaram nesta onda de accountability, que representa a capacidade de responsabilizar-se pelas próprias ações, com ética. Novas obrigações das empresas e de seus líderes emergiram com a pandemia, muitas ocasionadas pelos avanços tecnológicos. Talvez a mudança mais urgente a ser realizada seja o aperfeiçoamento da capacidade de ambos, líderes e empresas, responsabilizarem-se pela adaptação comportamental advinda das transformações de uma era pandêmica.

Novos conceitos de liderança têm se tornado indispensáveis para o futuro dos negócios. Embora estejamos todos aprendendo juntos em um momento em que a humanidade vive situações sem precedentes, muitos líderes já perceberam que existe uma forte tendência em desenvolver a mentalidade chamada exponencial.

Para administrar empresas com crescimento exponencial, precisamos líderes com uma mentalidade de acordo com este crescimento. Empresas exponenciais são aquelas que crescem de forma escalável, evoluindo receita e marketshare de forma extremamente acelerada. Enquanto as organizações tradicionais oscilam sua evolução ou crescem 5%, 10% ou até 20% ao ano, as exponenciais crescem 5, 10 ou até 20 vezes de forma constante por um ou mais anos. Estes resultados provocam muitas empresas tradicionais a realizar grandes transformações digitais para participar de um mundo com mais informações, mais talentos, mais experimentação, mais propensas à riscos, menos burocracia e mais agilidade na tomada de decisões, mais conexão digital e tecnológica.

Esse mundo de abundância é muito diferente daquele que muitos executivos de hoje viveram há 15 ou 20 anos atrás. Por isto, o accountability que citamos no início deste artigo será uma das características mais exigidas das lideranças pós pandemia, uma vez que estes deverão assumir a responsabilidade de readequar-se às novas demandas de seus cargos. Segundo Lou Holtz, ex-jogador de futebol americano e escritor: “A vida é 10% o que acontece com você e 90% como você responde a isso.”

A Mentalidade do Líder Exponencial

Para ter sucesso em um mundo disruptivo, estudos realizados pela Singularity University definiram algumas características necessárias para o Líder Exponencial navegar neste universo de mudanças. Cito aqui 6 características importantes para as lideranças desenvolverem uma mentalidade exponencial:

  1. Ter a compreensão completa do conceito de exponencialidade – entender a diferença do crescimento linear (adicionar repetidamente uma constante) do exponencial (multiplicar repetidamente uma constante).
  2. Viver e entender um mundo de abundância – a tecnologia está proporcionando abundância na energia, conhecimento, transporte, educação, saúde, dentre outros, com produtos mais acessíveis a todos.
  3. Ter curiosidade e aprender sobre tecnologias exponenciais.
  4. Ter propósito transformador – superar as dificuldades e atrair os melhores talentos, por ser altamente inspirador.
  5. Compartilhar seus conhecimentos e demandas através de seus contatos com usuários de internet que poderão ajudá-lo a construir e realizar suas ideias.
  6. Fazer uma disrupção em si mesmo. Não ter medo de reinventar-se e saber a importância de aprender a desaprender constantemente.

Além de muito conhecimento e estudo sobre este novo mundo organizacional disruptivo que estamos vivendo, considero indispensável, o autoconhecimento e autodesenvolvimento não só das lideranças, sem exceção. Este poderá ser um trabalho duro, em que muitos realizarão sozinhos, através de reflexões, leituras e feedbacks, e/ou poderão ter o apoio de um profissional experiente, como um Coach ou terapeuta, para apoiá-lo neste desafio.

CEOs, diretores e todas as lideranças executivas, além de gerenciar a si mesmos, têm a responsabilidade de gerenciar também às transformações de suas equipes e da organização como um todo. Este é um desafio desbravador para todos os dirigentes de nossas organizações.



Voltar