(51) 3338 0220
missel@missel.com.br

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

Por Claudio D’Amico

 

A inteligência emocional é uma competência cada vez mais importante e valorizada pelas organizações. Ela é um poderoso diferencial competitivo.

Muitas das empresas que são nossas clientes nos pedem para fazer um processo de coaching com a sua liderança. Pode ser um gerente, diretor, CEO e até um Presidente. O objetivo principal é desenvolver a habilidade de lidar com as pessoas. Segundo Goleman, a inteligência emocional engloba o autoconhecimento emocional, controle emocional, automotivação, empatia e relacionamento interpessoal (habilidades sociais).

Hoje, a inteligência emocional (IE) é tão importante quanto a inteligência mental (QI) e ainda mais importante do que o conhecimento técnico . Aqueles que a desenvolvem tendem a ser mais bem-sucedidos, tanto na vida pessoal como na profissional. A diretora mundial da SAP, comentou certa vez, que ela contrata em função do que a pessoa é, e o conhecimento técnico necessário ela aprenderá.

A falta de inteligência emocional pode provocar nas pessoas a sensação de frustração, angústia e tristeza. Ninguém gosta de trabalhar com pessoas rebeldes, duras e mal humoradas. Muitos gestores, diretores e até presidentes têm esta dificuldade. São muito focados nos resultados e esquecem das pessoas, que são as principais responsáveis pelos resultados que buscam.

Ter inteligência emocional não significa mostrar simpatia e sim, agir com autoconfiança e autocontrole. Daniel Goleman, criador do conceito Inteligência Emocional, faz relação com inteligência social, onde o indivíduo precisa ter um autoconhecimento das próprias emoções e conseguir controlá-las, assim como ter um entendimento com relação às emoções das pessoas que estão à sua volta. Isto também reflete a capacidade de resiliência.

Para que você consiga identificar a dificuldade relacionada à inteligência emocional, perceba em você alguns sinais:

  1. Estressar-se quando alguém não entende o que você está explicando

Você poderá pensar “Isto é tão simples, será que é tão difícil de entender? Qualquer um entende!”. Saiba que há diferentes maneiras de processar e assimilar as informações. As pessoas são diferentes umas das outras.

  1. Rir das pessoas

Uma piada pode causar desconforto. Você poderá achar que as pessoas se sentem ofendidas sem algum motivo ou são hipersensíveis. Pense se as suas piadas são tão engraçadas quanto você imagina.

  1. Não aceitar opiniões diferentes das suas

Talvez você se sente tão convicto das suas próprias “verdades” que pode não aceitar as ideias diferentes das suas. Mas é importante que você perceba que as pessoas possam trazer ideias vistas por outros ângulos que talvez você não tenha pensado. As pessoas possuem experiências diferentes da sua.

  1. Culpar os outros por causa das dificuldades que apresentam

Quando algo não dá certo você poderá procurar os culpados e colocar a responsabilidade do ocorrido sobre os outros. Como já foi comentado anteriormente, as pessoas são diferentes umas das outras e todas apresentam dificuldades com alguma coisa. Ninguém pode ser bom em tudo. Lembre-se que você também terá dificuldade com alguma coisa. Esta reflexão é bem importante.

  1. Se queixar do próprio trabalho

Se isto acontece com você, pense se gosta do que faz. Não encare o seu trabalho como um fardo. Dá para ser feliz assim?

Uma pessoa que tenha habilidades relacionadas à inteligência emocional leva uma vida mais tranquila, satisfeita e colhendo resultados tanto no âmbito profissional como no pessoal. É admirada pelas pessoas que estão à sua volta. E se for um gestor, é respeitado mesmo quando deve ser mais enérgico com a sua equipe.

Observe-se e se desenvolva. Quem mais tem a ganhar é você!



Voltar