fbpx

Desenvolvendo o bem-estar mental para o futuro do trabalho

Após encararmos o desafio inesperado da pandemia, que nos obrigou a organizar espaços de trabalho remotos em dias e sem perspectiva de retorno, agora estamos caminhando para um retorno ao trabalho presencial, mas com novos desafios. As pessoas retornaram com novas expectativas sobre o local de trabalho, os objetivos de carreira e as prioridades de desenvolvimento, sendo que uma das mudanças mais evidentes é a definição do bem-estar mental como prioridade. 

Muitas organizações já perceberam esse movimento e reconheceram a importância do seu posicionamento a respeito. Porém, ainda existe pouca clareza sobre qual o papel do líder e da empresa e quais são as ações que podem impactar positivamente a percepção dos colaboradores nesse sentido. 

Algumas atitudes podem apoiar esse processo de apoio ao bem-estar, e por isso selecionamos três para compartilhar. Independentemente delas, o mais importante é a consciência dos líderes e do RH das organizações sobre a relevância do tema e a atitude para criar as ações práticas e eficazes: 

1 – Encontre uma forma de medir o bem-estar das pessoas. 

Normalmente, as pesquisas de clima tinham esse objetivo. Hoje, muitas empresas realizam pesquisas diárias para identificar o humor e a motivação das pessoas, podendo utilizar essas informações para uma tomada de decisão mais direcionada e de curto prazo. 

Outra forma mais profunda é a contratação de profissionais da área da psicologia ou relacionadas a saúde que tenham conhecimento para realizar um diagnóstico específico das pessoas. Nesse modelo, é possível identificar doenças como depressão ou até mesmo tendência suicida. 

2 – Apoie e, se possível, patrocine hábitos saudáveis. 

Pessoas com saúde e disposição performam melhor e tem menos afastamento do trabalho. Por isso, patrocinar e incentivar a prática de esportes, a boa alimentação e o cuidado com a saúde física e mental são iniciativas de investimento para qualquer negócio e que vão muito além do benefício para o colaborador. 

Convênios com espaços para prática de exercício, esportes ou apenas a facilitação de horários para frequentar a academia são exemplos. Iniciativas que promovam a alimentação saudável como hortas comunitárias ou desconto para comida saudável também funcionam. 

3 – Abra espaço para conversas mais pessoais. 

A ideia não é criar um fórum ou um espaço para desabafos, mas permitir que alguma questão pessoal possa ser abordada de maneira natural e positiva. Isso pode ocorrer através de feedbacks, conversas informais do time e a simples atitude do líder em mostrar abertura para que a equipe manifeste alguma dificuldade pessoal. Perguntar sobre como as pessoas estão se sentindo e reconhecer uma mudança de comportamento são passos importantes. 

Muitas vezes as pessoas gostariam de ter mais momentos com seus colegas e chefes, mas não veem abertura para isso. Dedicar um momento para ouvir as pessoas sobre sua vida pessoal, conhecer seus interesses e até mesmo hobbies e rotina familiar pode ser bastante surpreendente. Nessas conversas, as pessoas podem trazer informações importantes que ajudem a compreender comportamentos no dia a dia e expectativas sobre o trabalho. 

Imagem: freepik / creativeart

*Ricardo Missel é sócio da Missel Capacitação Empresarial, Administrador e Especialista em Design Estratégico.

Últimos posts

Receba esse e outros conteúdos no seu e-mail:

Desenvolvido por Missel ® 2021

Desenvolvido por Missel ® 2021

×
×

Carrinho