(51) 3338 0220
missel@missel.com.br

COMO OS LÍDERES PODEM AJUDAR NO DESENVOLVIMENTO DA RESILIÊNCIA DE SEUS COLABORADORES?

O aumento da consciência das empresas sobre o impacto negativo do stress, ansiedade e fatores de saúde mental tem ligado um alerta importante no mundo dos negócios. Administrar estes problemas enfrentados por grande parte dos profissionais começa a ser prioridade. Já está evidente que a perda de resultado proveniente desse tipo de situação é muito relevante.

Nesse sentido, empresas e lideranças começam a desenvolver uma cultura de gestão de pessoas com foco em resiliência. Resiliência é uma das melhores habilidades para administrar questões relacionadas ao stress, ansiedade e saúde mental. Desenvolver essa habilidade nas pessoas é uma excelente tática para combater esse tipo de problema.

Resiliência é a habilidade das pessoas em se adaptarem e administrarem as adversidades, desafios e mudanças, de forma a reduzir possíveis impactos negativos ou utilizar das situações para potencializar resultados. Nesse conceito, fica clara a importância e como isso pode apoiar a gestão das pessoas para o sucesso.

Mas como um líder consegue desenvolver a resiliência de seus liderados? Veja algumas dicas que podem ajudar as lideranças para esse objetivo.

Tenha em mente que o líder é o modelo

O comportamento da equipe é diretamente impactado pelo comportamento do líder. Se o líder é explosivo, a equipe agirá impulsivamente ou terá medo de se expor. Se o líder é empático, ele facilitará o diálogo entre as pessoas. O líder deve representar o comportamento que espera de seus liderados. Se ele for resiliente, as pessoas aos seu redor também serão.

Seja transparente na tomada de decisão e envolva as pessoas

O líder deve ser claro em suas ações e propósitos. É importante que as pessoas tenham clareza dos objetivos e o caminho para atingi-los. Por isso, envolver as pessoas nas decisões e considerar as ideias da equipe reduz a ansiedade dos envolvidos sobre o que e como deve ser feito, além de gerar novas ideias e perspectivas.

Crie momentos e espaços que permitam a desconexão com o trabalho

Momentos de descontração como comemorações por bons resultados, datas especiais, eventos de integração e até envolvimento da família do colaborador nas dependências da empresa fazem com que ele se sinta parte do negócio, e não apenas um empregado. Encontre um espaço físico onde o colaborador possa relaxar por alguns minutos: uma área de convivência, uma sala de jogos ou uma sala de descanso. Um momento de ócio pode ser um ótimo combustível para criatividade.

Estimule os espaços de troca de opiniões

Esteja aberto ao diálogo. Abra caminhos para que os colaboradores conversem com as lideranças e entre si. É fundamental que as pessoas tenham voz ativa nas empresas, para impulsionar novas ideias e manifestar seus sentimentos e opiniões. Reuniões de equipe para brainstorm e feedback constante são bons exemplos.

Fique atento ao comportamento individual e aos sinais de stress

Na maioria das vezes, um olhar mais atento do líder sobre o colaborador pode identificar problemas de saúde física ou mental como stress, dores oriundas de má postura, ausências frequentes, desinteresse nas atividades, entre outros. Nesses casos, é importante que o líder haja com rapidez a fim de apoiar o colaborador e entender a situação.



Voltar