Rituais, Cultura e Resultado

RITUAIS, CULTURA E RESULTADOS

*Por Ricardo Missel

Os Rituais em uma organização podem ser definidos como as várias formas de manifestação de sua cultura através das atitudes e comportamentos dos colaboradores, nas mais diversas situações dentro do negócio: estratégias, celebrações, contratações, demissões, etc.

Hoje em dia, o tema Cultura Empresarial está extremamente em evidência, pois é cada vez mais fácil distinguir o papel diferencial das atitudes e comportamentos das pessoas nas organizações, e como estes têm reflexo direto nos resultados dos negócios.

Nessas duas afirmações conseguimos criar uma ligação direta entre Rituais, Cultura e Resultados. Mas e como isso pode impactar na gestão das empresas?

Quando falamos de gestão de pessoas no contexto organizacional estamos falando diretamente da estrutura dos relacionamentos, e como as diversas interações interferem positiva ou negativamente nos resultados. Nesse sentido, é fundamental perceber como as pessoas manifestam seus comportamentos quando fazem parte de algum ritual dentro da Empresa. E é nesse momento que a cultura se manifesta e os resultados são percebidos.

 

Conforme a literatura sobre o assunto e um estudo coordenador pelo Insper (Instituto de Ensino e Pesquisa de São Paulo), é possível identificar 6 tipos de rituais que impactam sobre a cultura organizacional: rituais de passagem, rebaixamento, valorização, renovação, redução de conflito e integração. Rapidamente vamos expor a que tipo de situação cada um deles se refere no contexto dos negócios, para posteriormente relacionar o impacto desse ritual sobre a cultura e o resultado nas organizações:

– Rituais de passagem: situações onde o colaborador passa de uma condição anterior, vive uma fase de transição e alcança uma condição posterior, na maioria das vezes positiva para ele e/ou para a organização. Ex: contratação, promoção, treinamento.

– Rituais de rebaixamento: situações onde o colaborador sofre uma perda de status e credibilidade perante a organização, por razões diversas que o fazem passar de uma condição anterior melhor que a condição posterior. Ex: demissão, perda de função, afastamento.

– Rituais de valorização: cerimônias de celebração que destacam o comportamento benéfico e positivo para o indivíduo, conforme seu desempenho ou os resultados por ele gerados. Ex: premiações, feedback constante, bonificações, celebrações.

– Rituais de renovação: atividades com objetivo de reforçar a cultura, os valores e o conhecimento dos colaboradores, reafirmando princípios, valores e condições importantes para o bom desempenho. Ex: palestras motivacionais, treinamentos, eventos de final de ano.

– Rituais de redução de conflito: esforços diretos e práticos para administrar possíveis desacordos e conflitos entre duas partes, que podem ter origens diversas, mas sempre impacto negativo sobre o negócio: Ex: negociações sindicais, reuniões de feedback, programas de contingência.

– Rituais de integração: ações que promovam a integração de colaboradores com o objetivo de potencializar os resultados em conjunto e destacar a importância do trabalho em equipe e colaboração para resultados. Ex: integração de colaboradores do mesmo grupo de empresas, treinamento de desenvolvimento de equipes, apresentações.

Todos estes são exemplos onde a definição de como cada ritual deve ser realizado impacta diretamente na cultura da organização, no comportamento das pessoas e, consequentemente, no resultado dos negócios.

Vamos citar abaixo três pequenos exemplos de como os Rituais podem gerar esse tipo de reflexo:

Exemplo 1

Empresas onde a prática do reconhecimento e valorização do trabalho ocorre com mais frequência apresentam mais altos índices de retenção de talentos e menor turnover (rotação de colaboradores).

Jovens das Gerações X, Y e Z têm questionado nas entrevistas de seleção sobre a frequência com que receberão feedback sobre o trabalho, quem vai dar o feedback para eles e como o desempenho será recompensado ao longo do tempo no cargo.

Conclusão: É necessário rever e considerar a importância dos rituais de valorização em todas as perspectivas, não apenas financeiras.

 

Exemplo 2

Processos de fusão e aquisição de empresas, na maioria das vezes, têm como principal desafio o alinhamento entre organizações com culturas e valores diversos.

Não são raros os casos de empresas que tiveram que demitir mais da metade dos colaboradores em processos de fusão e aquisição por incompetência na integração dos colaboradores, gerando custos milionários.

Conclusão: as estratégias de negócio precisam considerar um alinhamento entre pessoas e cultura para que não haja uma queda de engajamento e até mesmo processos de demissão em massa.

 

Exemplo 3

A gestão de conflitos é uma habilidade cada vez mais necessária no mundo complexo. Colaboradores e empresa precisam saber administrar as divergências e atuar com racionalidade. O desenvolvimento dessas habilidades é chave para o alto desempenho.

Crises institucionais mal resolvidas e líderes mal preparados para gestão de equipes são ingredientes para resultados catastróficos. Gestão de marcas e processos trabalhistas são responsáveis por grande parte dos custos operacionais de um negócio.

Conclusão: práticas e ferramentas que reduzam conflitos e processos judiciais com clientes internos (colaboradores) e externos reduzem o custo do negócio e potencializam o retorno financeiro.

 

Cabe aos líderes das organizações observar dentro da sua realidade, seja nas empresas de pequeno, médio ou grande porte, quais são os principais rituais (ou a ausência desses) que podem impactar positiva ou negativamente no seu desempenho. São atitudes que reforçam uma cultura que pode ter sucesso ou não. Isso vai depender da importância que você dá aos rituais na sua Organização.

Tags: cultura organizacional; gestão de pessoas; #gestaodepessoas, liderança, treinamento, desenvolvimento, coaching, feedback

pensamento-computacional

Raciocínio Digital ou Pensamento Computacional

RACIOCÍNIO DIGITAL OU PENSAMENTO COMPUTACIONAL

*Por Claudio D’Amico

Neste artigo, quero analisar uma das Competências 4.0 que mais tem impactado a formação dos profissionais de todas as gerações, desde os ensinos mais básicos da vida até os cursos de pós-graduação. Nos Estados Unidos, por exemplo, as escolas estão ensinando às crianças a linguagem de programação na grade curricular.

Leia mais

saiba-dizer-não

Saiba dizer “não” e aumente sua produtividade

SAIBA DIZER “NÃO” E AUMENTE SUA PRODUTIVIDADE

*Por Claudio D’Amico

Vou falar hoje sobre uma das maiores dificuldades das pessoas: dizer “não”.

Há muitas controvérsias com o fato de dizer “não”. Sempre que alguém nos pede algo há uma tendência, na maioria das pessoas, em largar tudo e ir ajudar. Muitas pessoas dizem que não conseguem dizer “não”, enquanto outras comentam que não têm a menor dificuldade em dizer.

Afinal, o que é melhor?

Leia mais

diferencial-das-pessoas

A Hora é da Ciências Humanas – O diferencial das pessoas

A HORA É DAS CIÊNCIAS HUMANAS – O DIFERENCIAL DAS PESSOAS

*Por Claudio D’Amico

Por que as ciências humanas são vistas como opostas às ciências exatas?

E se elas fossem complementares?

Muitas pessoas têm percebido que ao desenvolver habilidades de diferentes áreas de conhecimento, acabam alcançando um grande crescimento tanto profissional quanto pessoal. A minha trajetória de alguma forma exemplifica essa tendência, pois fui educado e desenvolvido para as ciências exatas.

Leia mais

dicas-de-mudança

5 dicas preciosas para você que não quer mudar

5 DICAS PRECIOSAS PARA VOCÊ QUE NÃO QUER MUDAR

*Por Simoni Missel

O ser humano, em sua essência, tem forte necessidade de estabilidade e previsibilidade para sentir-se seguro nos ambientes e situações que vivencia. Mudanças constantes e falta de estabilidade são causas de sério desconforto para quem trabalha nas organizações nos dias de hoje. Por isto, é perfeitamente compreensível, que as pessoas queiram sempre manter seus pensamentos e atitudes da maneira como sempre fizeram. Desta forma, como empresas são formadas por pessoas, as organizações tendem a adotar estratégias para manter o seu posicionamento e evitam as transformações. Por isto, vou relatar abaixo algumas previsões.

Leia mais

home-office-trabalho

Trabalhando em Home Office

TRABALHANDO EM HOME OFFICE

*Por Claudio D’Amico

Cada vez aumenta mais o número de profissionais que montam o seu escritório em casa, ou seja, trabalhando no formato home office. É muito grande a probabilidade que será desta maneira que as pessoas irão trabalhar num futuro próximo.

Leia mais

fator-critico-da-gestao

O fator crítico da Gestão de Pessoas que faz toda a diferença

O FATOR CRÍTICO DA GESTÃO DE PESSOAS QUE FAZ TODA A DIFERENÇA

Por Simoni Missel*

O diálogo sempre foi e sempre será um dos métodos mais eficazes usado para solução de problemas e novas ideias. Compartilhar conhecimento, informações técnicas e comportamentais tem sido a preferência dos profissionais no mercado de trabalho, com o objetivo de que as empresas consigam acompanhar a velocidade das inovações. Porém, pesquisas apontam o “follow-up” dos feedbacks como um grande inimigo para obter resultados.

Leia mais

trabalho-do-futuro

O Trabalho do Futuro

O TRABALHO DO FUTURO

*Por Claudio D’Amico

Desde que a vida começou o homem trabalha. Trabalha para sobreviver, lutando para não morrer, procurando comida, fazendo comida, construindo para ter onde morar, para constituir família, proteger sua família, conquistar, ou seja, para alcançar as suas necessidades (hierarquia das necessidades de Maslow).

Leia mais