(51) 3338 0220
missel@missel.com.br
oportunidades-de-trabalho2017

AS OPORTUNIDADES DE TRABALHO PARA 2017 – Matéria publicada no Jornal Zero Hora

Por Erik Farina.

Especialistas preveem que profissões com potencial para ajudar empresas em tempos de crise estarão em alta no próximo ano.

A crise econômica, o avanço de novas tecnologias e eventuais mudanças para flexibilizar as leis trabalhistas afetarão diretamente o mercado de trabalho no próximo ano. Especialistas em recursos humanos preveem que campos de trabalho mais específicos – como administração com foco na gestão de empresas, controladora especializada em redução de custos, tecnologia aplicada a procedimentos industriais -, com capacidade para dar sobrevida às companhias em épocas de economia esfacelada, terão potencial para gerar vagas e melhores salários em 2017.

-O mercado de trabalho está em mutação e, no próximo ano, devem avançar algumas tendências que temos acompanhado, como automação de processos, serviços de compartilhamento e negócios digitais – afirma o presidente da seção gaúcha da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-RS), Orian Kubaski.

-Isso impõe um grande desafio aos setores e às carreiras convencionais – completa.

BUSCA POR REDUÇÃO DE CUSTOS DEVE SEGUIR

A previsão de especialistas é de que as empresas continuem tentando reduzir custos e direcionem seus setores de RH a buscar funcionários que, independente da área de atuação, ajudem a trazer soluções inovadoras para as companhias, melhorando a saúde financeira e destrinchando mais espaço no mercado consumidor. Trabalhadores com um olhar mais amplo no funcionamento do negócio, que consigam se enquadrar as estratégias das companhias, são valiosos.

-O mercado estará em busca de profissionais focados em dar resultados para as empresas, que entendam muito bem os clientes e suas necessidades – aposta o sócio-diretor da Missel Capacitação Empresarial, Claudio D’Amico, que destaca:

-Serão especialmente valorizados profissionais com conhecimento da área financeira e contábil, fluência no idioma inglês e que interajam com todas as áreas da empresa.

O diretor executivo da Bazz Estratégia de Recursos Humanos, Celso Bazzola, aponta que, em todos os campos de atuação, é preciso desenvolver as competências e manter o foco nas oportunidades do mercado de trabalho para conseguir uma oportunidade.

-Não se deve alterar os planos profissionais para outras carreiras apenas por tendências: o mais importante é avaliar as suas habilidades e a sua paixão, assim o sucesso será inevitável – sugere.

ÁREAS COM BOAS PERSPECTIVAS:

Gestão de Empresas: a tendência é que a necessidade de gestão avançada em empresas familiares e naquelas que busquem internacionalização continuem abrindo oportunidades para profissionais com graduação ou pós-graduação na área de gestão de empresas.

Controladoria: em momentos de crise, controlar e focar na redução de custos e no acompanhamento de resultados torna-se fundamental para o sucesso e para a superação das dificuldades: ou seja, mais oportunidades para contadores e administradores.

Marketing em ponto de venda: na briga do varejo para aumentar as vendas em meio à crise econômica, têm crescido as apostas na publicidade em ponto de venda, montagem de gôndola e exposição de lançamento. Um caminho para profissionais de publicidade, marketing e design.

Tecnologia da Informação (TI): com a ampliação da automatização das indústrias e a necessidade de ampliar o uso de tecnologia em empresas de todos os portes, as portas para profissionais de TI devem continuar abertas, com bons salários.

Sustentabilidade em agronegócio: uma área que vem atravessando com certa tranquilidade a crise, o agronegócio passa a investir mais em tecnologia e sustentabilidade, o que abre um novo campo de atuação para engenheiros agrônomos e especialistas ambientais.

Cuidados pessoais: com o avanço da idade da população brasileira, ficará mais evidente a busca por saúde e qualidade de vida de idosos: enfermeiros, cuidadores, fisioterapeutas e geriatras deverão ter boas oportunidades em 2017.

ÁREAS COM MAIORES DESAFIOS:

Ciências sociais: a crise no serviço público em todas as esferas poderá reduzir o número de concursos para profissionais da área de ciências sociais, além de secar fontes de financiamento a publicações e pesquisas. A possibilidade é de que a iniciativa privada absorva parte dessa mão de obra.

Engenharia e arquitetura: o setor de construção civil dificilmente retornará as atividades a pleno no próximo ano e, com menos projetos e construções, diminuem também as vagas para engenheiros, arquitetos e demais profissionais envolvidos em canteiros de obras.

Produção Industrial: mesmo que haja retomada de atividade na indústria, a capacidade ociosa elevada poderá protelar as contratações de profissionais de engenharia de produção e das linhas de montagem.

Comércio varejista: deve haver dificuldade para ampliação na contratação de vendedores, estoquistas e atendentes no comércio, em razão da crise econômica e do endividamento da população, que reduz gastos em lojas.

 



Voltar