(51) 3338 0220
missel@missel.com.br
melhora-de-perfomace

5 QUESTÕES PARA MELHORAR A PERFORMANCE E A GESTÃO DO TEMPO

*Por Claudio D’Amico

Este é um assunto que preocupa a grande maioria das pessoas. Muitos dizem “meu dia deveria ter 48 horas”, “não tenho tempo”, “trabalho muito”, “não consigo desligar”. São justificativas para o mau gerenciamento do tempo de cada um de nós.

Ficamos com a sensação de que trabalhamos muito, fizemos muitas coisas e deixamos de fazer várias outras coisas importantes. É provável que aqui tenha um grande problema de estabelecimento de prioridade, onde parece que tudo é urgente.

Então, onde está o problema?

Cada um tem a sua resposta, sua verdade, seus motivos e seus modelos mentais.

Alguns dos motivos: facilidade de se distrair durante as atividades, pouca disciplina, dificuldade de dizer “não” quando é solicitado e perfeccionismo. Na verdade, considerando a cultura do profissional brasileiro, a maioria dos comportamentos descritos acima impacta diretamente no desempenho dos colaboradores.

Um agravante para que tem um cargo de gestão é a dificuldade na delegação e a centralização, evidenciados pela má administração das atividades e realização das tarefas dos colegas. A maioria desses casos é representado por profissionais de áreas técnicas sem competências para gerenciar pessoas, mas que são promovidos sem preparo para funções de liderança.

Cabe analisarmos continuamente no nosso dia a dia de trabalho o conceito de RSTI, que significa Retorno Sobre o Tempo Investido, e como estamos trabalhando considerando seus critérios. Ou seja, qual é a produtividade alcançada em relação ao tempo investido, onde a proporção ideal deve ser de mais produtividade com menos tempo investido.

Para isto, precisamos nos fazer 5 perguntas:

  1. qual tarefa ou atividade pode ser eliminada ou otimizada?
  2. o que pode ser sistematizado ou automatizado?
  3. o que pode ser delegado?
  4. o que é de minha responsabilidade?
  5. o que devo fazer agora ou depois?

Estamos falando a respeito de tarefas de baixa importância, eliminação do excesso de operacionalidade, analisar das responsabilidades e priorização das atividades de acordo com o planejamento.

No momento que conseguirmos responder a estas perguntas, aparentemente simples, poderemos ver o mundo do trabalho de uma maneira diferente e redimensionar nossos esforços.

Quando somos produtivos nos sentimos satisfeitos, felizes, gratificados e por incrível que pareça, ficamos com vontade de fazer mais. Esta situação acaba gerando um aumento na motivação, autoestima e, consequentemente, melhores resultados para os negócios.



Voltar